Melhores práticas para a segurança dos pacientes

A pandemia do COVID-19 provocou consideráveis mudanças nos procedimentos médicos, tornando urgente a adaptação dos métodos, até então tidos como normais. Em função disso, a Johnson & Johnson Medical Devices criou o site “Retorno à Cirurgia”, onde você terá acesso a um compêndio das melhores práticas, protocolos e diretrizes governamentais auxiliando-o na estruturação da retomada dos procedimentos cirurgicos.

Three female medical assistants posing for a team picture wearing Covid19 face shields in a new normal surgery

Uma pesquisa recente conduzida pela Ipsos Argentina SA encomendada pela Johnson & Johnson Medical Devices Companies, descobriu que as principais informações que lhes dariam maior segurança, na retomada de um procedimento ou cirurgia.

  • Receber informações sobre os protocolos específicos que o centro de saúde adotou para a COVID-19 (65%).1
  • Informações sobre mudanças estruturais no centro de saúde (60%).1
  • Riscos relacionados à COVID-19 em seu procedimento específico (48%).1

Os profissionais de saúde podem gerar uma confiança significativa nos pacientes quanto à sua equipe de saúde e hospitais, comunicando as medidas que eles tomaram e as salvaguardas que colocaram em vigor para proteger a saúde e o bem-estar do paciente durante a COVID-19.

Além de detalhar algumas práticas de segurança comuns intensificadas, conforme determinadas por fontes governamentais e descritas de forma resumida na amostra abaixo, considere criar um vídeo focado no paciente ilustrando os novos protocolos de segurança e procedimentos que a instalação tem adotado nos últimos meses. 

Práticas de segurança sugeridas:

  • Máscara para todos os funcionários e pacientes2
  • Equipamento de proteção individual para todos os profissionais de saúde3
  • Treinamento da equipe na prevenção da infecção por COVID-193
  • Protocolos de distanciamento social e barreiras físicas nas salas de espera
  • Fazer triagens dos pacientes, e perguntar sobre qualquer sintoma potencial durante as ligações de confirmação anteriores à consulta.2
  • Protocolos e produtos de desinfecção e saneamento2 
  • Manter um plano de comunicação para sua equipe e pacientes3
  • Usar os serviços de telemedicina sempre que possível para reduzir o risco de transmissão da COVID-19 nos ambientes de cuidados de saúde3
  • Considerar um plano para os pacientes que têm condições médicas que os proíbe de usar máscaras.

Referencias

1.Pesquisa de saúde conduzida pela Ipsos Argentina S.A encomendada pela Johnson & Johnson Medical Devices Companies. Sobre a pesquisa: esta pesquisa foi realizada online entre homens e mulheres com mais de 18 anos de idade, residentes na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México, de níveis socioeconômicos alto, médio e baixo, conectados à Internet . Esta pesquisa online não é baseada em uma amostra probabilística e, portanto, nenhuma estimativa de erro amostral teórico pode ser calculada. Fatores de ponderação foram aplicados.
2.Centers for Disease Control and Prevention. “Get Your Clinic Ready for Coronavirus Disease 2019 (COVID-19).” Acessado em 1º de setembro de 2020. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/clinic-preparedness.html.
3.Centers for Disease Control and Prevention. “Ten Ways Healthcare Systems Can Operate Effectively during the COVID-19 Pandemic.” Acessado em 1º de setembro de 2020.

149492-200811